Malleus Holoficarum

O holocausto enquanto “fato histórico” e objeto de discussão adquiriu, em muitos países, e, em certa medida, mesmo no Brasil, todas as características de um dogma secularizado, transportado para o cerne dos discursos políticos e ideológicos dominantes. Uma verdadeira “Religião de Estado”. Portanto, relativamente às leis de exceção que criminalizam a discussão de suas controvérsias, nas denominadas “democracias”, a comparação torna-se perfeitamente válida com a essência dos tribunais inquisitoriais na Idade Média, e, ainda mais paradoxalmente, com métodos de imposição acadêmica e coerção estatal exercida nos chamados regimes totalitários do século XX (entre os quais podemos incluir, sem sombra de dúvidas, a Alemanha hitlerista). – Marcelo Silveira

Artigos da seção: Liberdade de Expressão

No Dia Internacional da Lembrança do Holocausto, somos todos “negacionistas”


Judaísmo e Preconceito


Há 8 anos atrás: Espanha derruba Lei da Negação do Holocausto


Semi-revisionista: jornalista irlandês ilustra as diferentes gradações da "negação do Holocausto"


Preconceito às avessas


Não é crime negar a existência do holocausto


Nas palavras, a liberdade


Temos o direito de dizer tudo?