Malleus Holoficarum

Na medida em que os negacionistas investem precisamente contra os elementos centrais do conceito deste evento histórico (armas e locais do crime, autoria, materialidade, as evidências de uma política centralizada, projeções logísticas, possibilidades técnicas, cálculos demográficos, etc.), naturalmente que, da conclusão pela inexistência de um genocídio articulado nos seus exatos termos, resulta uma contestação ao próprio conceito de Holocausto, ou seja, suas impropriedades intrínsecas remeteriam direta e obviamente ao plano ontológico. (Antonio Caleari, Malleus Holoficarum, p. 214)

Lobby judaico se reúne com presidente da Câmara dos Deputados


Pegando carona nas leis antiterror – que visam transformar países minimamente “democráticos” em estados policias – o lobby judaico se reuniu neste mês de abril de 2015 com o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, em mais uma tentativa de restringir a liberdade de expressão dos brasileiros. A estratégia é antiga: dentro de uma […]

continue lendo

A mentira a serviço de "um bem maior"


* Texto reproduzido in verbis a partir do livro “Malleus Holoficarum”, de Antonio Caleari. Trata-se de excerto extraído do capítulo 4, “O Animus Revidere” (págs. 122 e 168):   O inconformismo daqueles que tomam para si a defesa da memória dos crimes nazistas, levado à última instância de controle social (ultima ratio), revela uma estreita ligação deôntica com o […]

continue lendo

Semi-revisionista: jornalista irlandês ilustra as diferentes gradações da "negação do Holocausto"


Conforme já exposto anteriormente, e ao contrário do que esperneiam os afirmacionistas, a Revisão Histórica do Holocausto compreende diversas gradações e é apoiada pela mais variada gama de pessoas. Destacamos abaixo um artigo publicado no jornal irlandês Independent, em 2009, por ocasião da polêmica prisão do bispo Richard Williamson na Inglaterra. Trata-se de uma opinião em […]

continue lendo

Lobby no STF: uma prática antiga…


Em maio de 2012, não se falava em outra coisa: o ex-presidente “Lula” teria tentado cooptar um ministro do STF, a fim de que fosse protelado o julgamento do “Mensalão”, em troca de influência na investigação da CPI que apurava a rede de corrupção de Carlinhos Cachoeira. O que poucos sabem é que essa indecorosa […]

continue lendo

O estudante de História


O despertar para as incoerências do “politicamente correto” Carlos passou no vestibular para o curso de História e, para alegria da sua família de classe média paulistana, conseguiu entrar em uma universidade pública, uma das melhores do Brasil, a USP. Após ser aprovado nas provas do ciclo básico, o jovem estudante, assim como seus colegas […]

continue lendo